O projeto cria uma arquitetura capaz de receber viajantes, os protegendo das condições climáticas extremas da região de Carpineto, na Itália.

O desenho dos abrigos une a arquitetura vernacular com a tecnologia, que aproxima a edificação das mais modernas estratégias de projeto.

O modelo combina uma forma trapezoidal distorcida com suportes estruturais em madeira e, uma ponte suspensa conecta a arquitetura com a natureza.

CMR-BLG7

A fachada principal, revestida em vidro, permite uma vista panorâmica das montanhas em uma área com dois pavimentos, dividindo as funções sociais e privadas. No pavimento térreo, se localizam as instalações sociais e de serviços: um banheiro, uma cozinha, uma mesa de jantar e um lounge. No andar superior, os viajantes terão uma bela e compacta área de dormir, com pelo menos quatro camas.

Painéis solares localizados na cobertura provê água quente e iluminação. O telhado, inclinado em 17 graus no sentido sul, amplia a capacidade de absorção da energia fotovoltaica, ao mesmo tempo que abre o abrigo para as montanhas, aumentando a capacidade visual de quem está dentro do abrigo.


As atividades que o arquiteto desempenhou durante a realização do projeto, foram: criação, desenvolvimento e renderização.


Data do projeto | 2015

Localização | Carpineto | Itália

Área construída | +/- 20m² por unidade

Outras informações | Projeto desenvolvido para o Concurso promovido pela Archistart: Carpineto Mountain Refuge, em parceria com o arquiteto Paulo Genovez.

Escrito por Rafael L. Carlesso

Arquiteto, urbanista e pesquisador na área de sociologia urbana e filosofia.